BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS

PSICOPATAS




Algumas características do psicopata são o egocentrismo, a ausência de culpa e remorso, o excesso de razão e a inexistência de emoção. Dentro destas características a mentira é um dos atos mais recorrentes. Para sustentar uma mentira, o psicopata cria outras e mais outras, sempre para chegar aos seus objetivos. Por não sentir culpa, o psicopata atua e finge muito bem. Facilmente pode forjar um choro, tristeza ou qualquer outro sentimento que seja mais facilmente observável.




A grosso modo, o psicopata pode ser classificado em três graus. O primeiro deles, o leve, seria o conhecido 171 (estelionatário), o indivíduo que aplica pequenos golpes e engana as pessoas. O segundo grau, o moderado, seria o indivíduo que se envolve em grandes fraudes financeiras ou em golpes envolvendo muitas pessoas. O terceiro grau, o grave, seria a da categoria dos serial killers, que quase sempre envolvem requintes de crueldade. No Brasil já tivemos vários casos de serial killers, dentre eles o bandido da luz vermelha e o maníaco do parque. Há também muitos outros crimes que foram cometidos por prováveis psicopatas graves, como o caso Richthofen, o caso Eloá e tantos outros.




Os crimes envolvendo os psicopatas graves são repletos de requintes de crueldade. No caso do jornalista Tim Lopes, seus assassinos fizeram um ritual para cometer o crime. Utilizaram espadas, tortura e diversos artifícios de crueldade. Por fim, o corpo do jornalista foi queimado em um local denominado "microndas". Essa categoria mais grave de psicopata pode ser descrita ainda como um predador humano, eles simplesmente “caçam” as suas vítimas como um animal feroz.




/www.psicologoemcuritiba.com.br/2009/04/psicopatia.html
Eu recebo inúmeros e-mails de pessoas que dizem, ou melhor, escrevem que quer muito me conhecer, apos ter lido meu blog, e após manifestar esse desejo de me conhecer, me dão um monte de conselhos, dos mais variados...pedem para que eu não ligue p a opinião alheia, que eu esqueça o que passou, que eu seja eu mesma, que eu me ame, etc...

Acho muito bacana esse tipo de carinho por parte de pessoas que me conhecem, só sabem um pedacinho da minha vida através desse blog. Eu não estou aqui fazendo uma crítica, ou pedindo de forma indireta que parem com seus conselhos!! Isso eu nunca faria, porque penso que toda manisfestação, seja ela positiva ou não, não deixa de ser uma forma de carinho, e que por sinal eu recebo bem.

Tenho duas coisas a ressaltar aqui: Quanto a querer me conhecer, será um prazer, mas não sei o que as pessoas imaginam ou fantasiam a meu respeito, mas adianto que sou só uma mulher que sofreu demais por ter sido ingenua, por não ter tomado os devidos cuidados aqui na internet, e que como muitas, saio de um casamento terrível, onde era violentada de todas as formas, mas que se deixou violentar, e na ansia de ser feliz, e com fome de muito amor, caiu na primeira declaração de amor Vinda de um expert em mulheres carentes. A idéia do blog não é promover a coitadinha que perdeu tudo, e que hoje leva uma vida difícil...já joguei minha coitadinha no lixo a muito tempo, assumo minhas responsabilidades, e ninguém nos faz aquilo que não permitimos....dei muito poder a ele, assim como havia dado a meu ex marido, e sempre que fazemos isso, abrimos mão de nós mesmas, e as pessoas se sentem a vontade de fazer o que bem quiser.

Outro ponto a enfatizar aqui é que eu não estou fazendo apologia ao sofrimento...nem acho que me exponho quando conto que fui vítima de violência física, verbal, emocional de meu ex marido, e mesmo tendo uma vida muito confortável materialmente, eu pedi a separação e lutei por ela, porque não há jóia, não há carro nem coisa alguma que possa servir de consolo, ou de desculpas para se viver num cativeiro como eu vivia...nunca me vendi.

Eu escrevo esse blog para PEDIR as mulheres em geral, que não fiquem nas mãos de ninguém, que denunciem, que façam BO quando forem agredidas principalmente físicamente, eu só passei a ter mais segurança o dia em que fiz um BO e andava com ele na bolsa.

Não acreditem nas desculpas, nos beijos pós massacre...nas promessas de que será a última vez! Quem nasce para agredir e encontra quem deixe, seja lá porque motivo, fará isso a vida inteira...não queira mudar ninguém....mude você.

As minhas dores, minhas mágoas, ou qualquer sentimento que derive do reultado de ter ou ser mal amada, já foi superado, caso contrário, eu não faria esse blog. Não trabalhei fora, apesar de ter faculdade e várias pós, me dediquei a filhos e ao marido durante 17 anos, abri mão de minha profissão, e hoje não tenho o menor valor para o carrasco que conviveu comigo por 17 anos, que pediu para que eu não trabalhasse...e hoje espalha aos 4 ventos que não fiz nada durante 17 anos....e se vinga no bolso, me deixando passar necessidade, e principalmente, deixando os próprios filhos passarem, sendo ele um grande executivo...mas como já escrevi anteriormente, eu deixei....eu permitir...quando eu devia ter ido embora na primeira levantada de mão de que ele deu.

Saí de um casamento onde eu deixei que me roubasse meus sonhos, minha auto estima, e tantas outras coisas, e entrei em outro que me roubou de fato, talvez a única coisa que tenha sobrado de meu casamento...um apartamento, que era minha segurança, e um carro que querendo ou não é um conforto....deixei os dois levarem tudo.

Isso é apenas um alerta, um exemplo, uma confissão de ingenuidade e burrice. Hoje, depois de tudo que dei, me dediquei, fui leal, respeitei, ainda sou mal julagada por ter me envolvido com uma pessoa que era um bandido e eu nem desconfiei.

Mas aos que me aconselham não se importar com a opinião alheia, a ser eu mesma, eu digo que o que os outros pensam , acham sentem a meu respeito, não tem o menor valor, nem chego a ouvir, sei quem sou, não tenho vergonha de ter sido tão abandonada por mim, mas hoje, depois de ter passado por tudo que passei, me amo muito, me valorizo demais, to ainda na luta, ainda quero ser muito feliz, e serei...sinto falta de ter meu conforto? claro!! de ter meu carro? com certeza!! mas tudo isso foi o preço que paguei para aprender na dor...e hoje olho no espelho e vejo uma mulher de carater, que assume que errou, ou que fez o que sabia, mas que nunca mais deixará alguém se quer enconstar as mãos em mim, se não for para me fazer um carinho.

As mãos que batem, não sabem acariciar, as mãos que roubam, não sabem pegar nem reconhecer o que é verdadeiro e honesto.

Era isso...esse é o meu recado, e sempre será!







CONTADOR

sábado, 19 de março de 2011

Ana Beatriz

segunda-feira, 25 de outubro de 2010



Eu sou muito devota a Nossa Senhora das graças, e nao poderia jamais deixar de postar aqui uma imagem dela...e agradecer aos iúmeros milagres por ela alcançados.

Mãezinha, eu te amo e te agradeço por me acompanhar sempre...uso sua medalha milhagrosa em meu pescoço por confiar e amar a Senhora de todo meu coração.
Amém


sábado, 23 de outubro de 2010

Nem sempre diploma dá sabedoria...

Eu fui chamada para depor novamente, e como meu advogado estava de viagem marcada e não poderia me acompanhar, me indicou sua sócia, que eu não conhecia.

Aceitei pois estava em cima da hora, contei para ela resumidamente o que havia acontecido comigo, e pude notar a cara de irônia dela...e ainda ouvir sarcasticamente que minha ingenuidade era digna de objeto de estudo. Com certeza é uma pessoa desinformada, e acha que eu fui a única a passar por isso.
Combínamos que ela faria em 2 vezes o valor que ela estipulou, mas infelizmente tive um problema de saúde na família, minha mãe teve que passar por uma cirugia cardíaca delicadissíma, e em nome disso, pedi para que ela esperasse um pouquinho mais para receber.
Ela me escreveu um e-mail, dizendo que ao invés de eu ficar fazendo bloguisinho, eu deveria ir trabalhar, e parar de depender de minha mãe, pois foi minha mãe que a pagou.
E escreveu outras ofensas mais, que não vale aqui ser escrita....e eu fiquei pensando, uma pessoa que se diz tão seguidora de Deus, até me convidou para participar do grupo de oração que ela promove em sua casa, convidou não...ela exigiu que eu fosse, como se fosse uma intimação.
Eu não ão fui por vários motivos, dentre eles, não sigo a religiaão dela, coisa que ela esqueceu de perguntar....sendo ela uma senhora....vivida, temente a Deus, mãe de 3 filhos, já avó, ainda que ela não fosse advogada, penso que ela poderia ter um pouco mais de cuidado ou sensibilidade para lidar com dores alheias. Em momento nenhum eu pedi sua opinião a respeito de minha vida, tenho plena consciência do que devo fazer, do que é preciso ser feito por mim, e pelos meus. Uma pessoa culta, exercea profissão a muitos anos, e não aprendeu a tratar o ser humano, seja ele quem for com dignidade? com um mínimo de bom senso? O respeito? saberia ela o que significa a palavra respeito? Respeito pelas minhas dores, por tudo que passei....respeito pela cirugia de miha mãe?
É, a sabedoria colhemos na vida e da vida....e é através dessa sabedoria é que evoluímos, vamos aos poucos aprendendo a ser mais suaves, a compreender o outro e seus possíveis erros, dificuldades em lidar com nossas carencias, nenhum fato acontece isolado....tem sempre um histórico por de trás de alguns enganos.
Hoje, depois de tudo que sofri, ao invés de ter ficado amarga, fiquei mais sensível em relação as pessoas e suas atitudes, e quem sou eu para julga-las?
Os livros não ensinam ter amor, ter respeito, ter bondade....isso tudo...só mesmo a mãe vida.


ONU condena aumento da violência contra mulher no mundo

NOVA IORQUE (Rádio ONU) - As Nações Unidas condenaram o aumento de casos de violência, principalmente sexual, contra a mulher em todo o mundo.



A declaração foi feita na Assembleia Geral por uma das vice-presidentes da Comissão sobre Eliminação de Discriminação contra Mulheres, Cedaw.


Membros da Família


Segundo Xiaoqaio Zhou, pelo menos uma em cada três mulheres já foi vítima de agressões físicas, forçada a manter relações sexuais ou sofreu alguma violação. Os agressores são geralmente parceiros ou membros da família.


Em seu discurso, Zhou afirmou que muitas mulheres continuam sendo vítimas de leis e costumes discriminatórios.


Nesta entrevista à Rádio ONU, de Genebra, a professora brasileira, Silvia Pimentel, que é membro da Cedaw, disse que o combate à violência deve ser feito em várias frentes.


Conjunto


"As próprias feministas é que levantaram nessas últimas décadas a importância de não falarmos 'direito da mulher', porque são 'direitos das mulheres'. Nós não somos um conjunto homogêneo, nós temos que olhar com um olhar muito agudo e cuidadoso para verificar as especificidades de várias categorias de mulheres", disse.


Um relatório do Fundo das Nações Unidas para a População, Unfpa, sugere que as mulheres continuam sendo estupradas e sujeitas a outras formas de violência sexual que não são punidas.


Além disso, meninas e mulheres estão sendo vendidas como escravas sexuais em todo o mundo. Dois milhões de meninas entre cinco e 15 anos passam a fazer parte do chamado "mercado do sexo" todos os anos.

http://mulhervivaviva.blogspot.com/

quarta-feira, 20 de outubro de 2010


Não me dêem fórmulas certas, porque eu não espero acertar sempre. Não me mostrem o que esperam de mim, porque vou seguir meu coração. Não me façam ser quem não sou. Não me convidem a ser igual, porque sinceramente sou diferente. Não sei amar pela metade! Não sei viver de mentira! Não sei voar de pés no chão! Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma para sempre."

Clarice Lispector


PEDAÇOS DE MIM...

Eu sou feito de
Sonhos interrompidos
detalhes despercebidos
amores mal resolvidos


Sou feito de
Choros sem ter razão
pessoas no coração
atos por impulsão


Sinto falta de
Lugares que não conheci
experiências que não vivi
momentos que já esqueci


Eu sou
Amor e carinho constante
distraído até o bastante
não paro por instante



Tive noites mal dormidas
perdi pessoas muito queridas
cumpri coisas não-prometidas


Muitas vezes eu
Desisti sem mesmo tentar
pensei em fugir,para não enfrentar
sorri para não chorar


Eu sinto pelas
Coisas que não mudei
amizades que não cultivei
aqueles que eu julguei
coisas que eu falei


Tenho saudade
De pessoas que fui conhecendo
lembranças que fui esquecendo
amigos que acabei perdendo
Mas continuo vivendo e aprendendo.

domingo, 17 de outubro de 2010


A vida entrelinhas
© Letícia Thompson




É incrível como em várias situações da vida nos tornamos cegos a certas coisas.

Vemos o que queremos ver, sabemos o que queremos saber e tudo o mais toma uma importância tão mínima que quase desaparece da nossa memória.

É assim que muitas pessoas toleram situações que, se assim não fosse, se tornariam insuportáveis.

Mas como todas as moedas têm dois lados, nem sempre ignorar os fatos nos ajuda a melhor viver.

Precisamos saber reconhecer o que está nas entrelinhas da vida, buscar a honestidade relacionada a uma situação, uma pessoa, a si mesmo, à própria vida.

Se nos cegamos voluntariamente a algo importante, o fardo não se torna mais leve. Apenas fugimos para lugar nenhum.

O fato de não vermos um problema não o torna inexistente e, sejamos francos, não nos machuca menos.

Quantas e quantas vezes sentimos que algo nos incomoda, vivemos num mal-estar quase constante e continuamos a prosseguir!...

Se procurarmos ver um pouco mais profundamente, honestamente e sem medo, com ou sem ajuda, encontraremos a raiz do mal.

Fazer face à certas coisas poderá provocar muitas lágrimas. Mas lágrimas benditas, que nos ajudarão a evacuar a dor e provocarão o profundo suspiro de alívio depois de algum tempo.

Eu sei que não é fácil abrir o coração, escancarar a alma e resolver tudo como num passe de mágica.

Sei que não é de uma hora pra outra que tudo se torna claro e visível. E é para isso que existe o tempo.

Porém a porta do querer saber deve ser aberta por nós. Depois outras portas se abrirão, devagarinho, até a última, que nos mostrará a luz do dia, nos dirá que a vida é bela, apesar de tudo o que vivemos ou tivemos que passar.

Nos possíveis e impossíveis da vida, muito está nas nossas mãos.

Jesus disse: "Quem tem ouvidos para ouvir, ouça."

A melhor maneira de ler as entrelinhas da vida é com os olhos fechados em oração e súplica Àquele que cuida de nós nos mínimos detalhes e que, para nos dar exemplo, foi como nós, carregou um fardo e também chorou.


Letícia Thompson

Há pessoas que levam muito a sério as palavras de Jesus quando disse que devemos perdoar até setenta vezes sete; umas por que sentem-se mártires e acham que tudo deve ser aceito e outras por que, do outro lado, beneficiam do assunto. Só que Jesus disse também à mulher: "nem Eu te condeno. Vá e não peques mais." Ele poderia simplesmente tê-la deixado partir, mas pediu que não repetisse o erro.
Não há nenhuma idéia contrária no tema. O perdão, devemos carregar em nós até porque ora precisamos, ora oferecemos. Os que nos amam perdoam nossas falhas e nós passamos uma borracha por cima de muito do que nos magoa nos que amamos. Segue assim a vida.
E, portanto, há situações que tornam-se repetitivas no "eu erro e você me perdoa." Aquele que erra com o tempo acostuma-se com a situação, pois até o sentimento de culpa acaba por encontrar um lugar e ficar quietinho. E o que perdoa sempre e sempre as mesmas coisas perde com o tempo o respeito por si mesmo.
Aceitar situações que aniquilam nossa dignidade humana não nos torna mais humildes, melhores, simples e cristãos. Perdoar setenta vezes sete é possuir em si o dom de perdoar e não de sustentar o erro do outro. Se Deus nos fez conforme Sua imagem e semelhança, devemos ver em nós mesmos seres capazes de caminhar com a cabeça erguida, com respeito e auto-estima.
Direito ao erro todo mundo tem. Direito ao perdão e a uma nova chance todo mundo tem. E todo mundo tem também o direito de dizer não à situações que levam para baixo, às pessoas que, em nome até do amor, tiram sua dignidade.
Escrevi esse texto, Setenta vezes sete, em resposta a um e-mail recebido há algum tempo. Desejo que seja útil:
Eu queria, sinceramente, um mundo melhor e ver mais pessoas felizes. Não gosto de injustiça, nem de desigualdade. E acredito de todo meu coração que a justiça, o respeito e o amor devem começar na nossa própria porta.
Obrigada novamente a vocês por tudo. Possa Deus estar presente a cada instante não para que evitem as batalhas, mas para que saiam sempre vitoriosos.
Um grande, muito grande abraço a todos!
Letícia

“Somos donos de nossos atos, mas não donos de nossos sentimentos; Somos culpados pelo que fazemos, mas não somos culpados pelo que sentimos; Podemos prometer atos, mas não podemos prometer sentimentos... Atos são pássaros engaiolados, sentimentos são pássaros em voo.” (Mário Quintana)

quinta-feira, 14 de outubro de 2010





Loucos e santos – Oscar Wilde


loucos e santos Escolho meus amigos não pela pele ou outro arquétipo qualquer, mas pela pupila.
Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante.
A mim não interessam os bons de espírito nem os maus de hábitos.
Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo.
Deles não quero resposta, quero meu avesso.
Que me tragam dúvidas e angústias e agüentem o que há de pior em mim.

Para isso, só sendo louco.
Quero os santos, para que não duvidem das diferenças e peçam perdão pelas injustiças.
Escolho meus amigos pela alma lavada e pela cara exposta.
Não quero só o ombro e o colo, quero também sua maior alegria.
Amigo que não ri junto, não sabe sofrer junto.
Meus amigos são todos assim: metade bobeira, metade seriedade.
Não quero risos previsíveis, nem choros piedosos.
Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem, mas lutam para que a fantasia não desapareça.
Não quero amigos adultos nem chatos.
Quero-os metade infância e outra metade velhice!
Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto; e velhos, para que nunca tenham pressa.
Tenho amigos para saber quem eu sou.
Pois os vendo loucos e santos, bobos e sérios, crianças e velhos, nunca me esquecerei de que "normalidade" é uma ilusão imbecil e estéril.

(Oscar Wilde)



Há momentos - Clarice Lispector


Há momentos na vida em que sentimos tanto
a falta de alguém que o que mais queremos
é tirar esta pessoa de nossos sonhos
e abraçá-la.

Sonhe com aquilo que você quiser.
Seja o que você quer ser,
porque você possui apenas uma vida
e nela só se tem uma chance
de fazer aquilo que se quer.


O primeiro beijo - Clarice Lispector


Os dois mais murmuravam que conversavam: havia pouco iniciara-se o namoro e ambos andavam tontos, era o amor. Amor com o que vem junto: ciúme.
- Está bem, acredito que sou a sua primeira namorada, fico feliz com isso. Mas me diga a verdade, só a verdade: você nunca beijou uma mulher antes de me beijar? Ele foi simples:

- Sim, já beijei antes uma mulher.

- Quem era ela? perguntou com dor.

Ele tentou contar toscamente, não sabia como dizer.


Não me prendo a nada que me defina – Clarice Lispector


Clarice Lispector Não me prendo a nada que me defina. Sou companhia, mas posso ser solidão. Tranquilidade e inconstância. Pedra e coração. Sou abraços, sorrisos, ânimo, bom humor, sarcasmo, preguiça e sono! Música alta e silêncio. Serei o que você quiser, mas só quando eu quiser. Não me limito, não sou cruel comigo! Serei sempre apego pelo que vale a pena e desapego pelo que não quer valer…
“Suponho que me entender não é uma questão de inteligência e sim de sentir, de entrar em contato... Ou toca, ou não toca."
(
Clarice Lispector)

Precisa-se – Clarice Lispector


Sendo este um jornal por excelência,precisa-se e por excelência dos precisa-se e oferece-se,
vou por um anúncio em negrito:

precisa-se de alguém homem ou mulher
que ajude uma pessoa a ficar contente
porque esta está tão contente que não
pode ficar sozinha com a alegria,
e precisa reparti-la

Rifa-se um coração - Clarice Lispector


Rifa-se um coração quase novo.Rifa-se um Coração Um coração idealista.
Um coração como poucos.
Um coração à moda antiga.
Um coração moleque que insiste
em pregar peças no seu usuário.
Rifa-se um coração que na realidade está um
pouco usado, meio calejado, muito machucado
e que teima em alimentar sonhos e, cultivar ilusões.
Um pouco inconseqüente que nunca desiste
de acreditar nas pessoas.

Um leviano e precipitado coração
que acha que Tim Maia
estava certo quando escreveu...
"...não quero dinheiro, eu quero amor sincero,
é isso que eu espero...".
Um idealista...Um verdadeiro sonhador...
Rifa-se um coração que nunca aprende.
Que não endurece, e mantém sempre viva a
esperança de ser feliz, sendo simples e natural.
Um coração insensato que comanda o racional
sendo louco o suficiente para se apaixonar.
Um furioso suicida que vive procurando
relações e emoções verdadeiras.
Rifa-se um coração que insiste em cometer
sempre os mesmos erros.
Esse coração que erra, briga, se expõe.
Perde o juízo por completo em nome
de causas e paixões.
Sai do sério e, às vezes revê suas posições
arrependido de palavras e gestos.
Este coração tantas vezes incompreendido.
Tantas vezes provocado.
Tantas vezes impulsivo.
Rifa-se este desequilibrado emocional
que abre sorrisos tão largos que quase dá
pra engolir as orelhas, mas que
também arranca lágrimas
e faz murchar o rosto.
Um coração para ser alugado,
ou mesmo utilizado
por quem gosta de emoções fortes.
Um órgão abestado indicado apenas para
quem quer viver intensamente
contra indicado para os que apenas pretendem
passar pela vida matando o tempo,
defendendo-se das emoções.
Rifa-se um coração tão inocente
que se mostra sem armaduras
e deixa louco o seu usuário.
Um coração que quando parar de bater
ouvirá o seu usuário dizer
para São Pedro na hora da prestação de contas:
"O Senhor pode conferir. Eu fiz tudo certo,
só errei quando coloquei sentimento.
Só fiz bobagens e me dei mal
quando ouvi este louco coração de criança
que insiste em não endurecer e,
se recusa a envelhecer"
Rifa-se um coração, ou mesmo troca-se por
outro que tenha um pouco mais de juízo.
Um órgão mais fiel ao seu usuário.
Um amigo do peito que não maltrate
tanto o ser que o abriga.
Um coração que não seja tão inconseqüente.
Rifa-se um coração cego, surdo e mudo,
mas que incomoda um bocado.
Um verdadeiro caçador de aventuras que ainda
não foi adotado, provavelmente, por se recusar
a cultivar ares selvagens ou racionais,
por não querer perder o estilo.
Oferece-se um coração vadio,
sem raça, sem pedigree.
Um simples coração humano.
Um impulsivo membro de comportamento
até meio ultrapassado.
Um modelo cheio de defeitos que,
mesmo estando fora do mercado,
faz questão de não se modernizar,
mas vez por outra,
constrange o corpo que o domina.
Um velho coração que convence
seu usuário a publicar seus segredos
e a ter a petulância de se aventurar como poeta.

Tudo é o Olhar - Clarice Lispector


Clarice Lispector
Não te amo mais
Estarei mentindo dizendo que
Ainda te quero como sempre quis
Tenho certeza que
Nada foi em vão
Sinto dentro de mim que
Você não significa nada
Não poderia dizer mais que
Alimento um grande amor
Sinto cada vez mais que
Já te esqueci!
E jamais usarei a frase
Eu te amo!
Sinto, mas tenho que dizer a verdade
É tarde demais...



Clarice Lispecto
r







Pertencer - Clarice Lispector




Clarice Lispector
"Mesmo minhas alegrias, como são solitárias às vezes. E uma alegria solitária pode se tornar patética. É como ficar com um presente todo embrulhado com papel enfeitado de presente nas mãos - e não ter a quem dizer: tome, é seu, abra-o! Não querendo me ver em situações patéticas e, por uma espécie de contenção, evitando o tom de tragédia, então raramente embrulho com papel de presente os meus sentimentos."






Nunca desista de amar – Roberto Shinyashiki


Nunca desisa de amar
O amor é eterno e maravilhoso em sua essência, capaz de realizar as mais importantes transformações em um ser humano. Alguns vivem o amor em sua plenitude pelo simples fato de dispor dele em abundância. Aprenderam a amar, a se entregar ao ser amado e a estabelecer relacionamentos criativos. Outros sofrem com seu relacionamento amoroso. Depois de algumas decepções, tendem a se isolar e a adotar uma postura cética em relação ao amor. Preferem ficar em , a solidão começa a apertar o coração. no sábado à noite, assistindo a um filme. Passam todos os fins de semana sozinhos. Nunca aceitam o convite de um colega para sair. No início, sentem-se aliviados, pois acham melhor evitar problemas do que sair em busca do amor. Mas, depois de algum Nunca desista de amar. Assuma sempre o risco de demonstrar seu amor, mesmo que a outra pessoa não vá aceitá-lo, porque amar alguém não é um problema nem um defeito; é uma virtude. Se ela não aceitar o seu amor, o problema não é seu, pois, uma vez que você descobriu o jeito de amar, ficará faltando apenas encontrar um companheiro para a viagem a dois.

Se você está só, abra o seu coração, coloque um
no rosto, retome o brilho nos olhos e acredite que a vida lhe prepara maravilhosas surpresas. Tenho a esperança de que com esta nossa conversa você tenha conseguido mais energia e inspiração para desfrutar melhor o Amor, uma realidade valiosa demais para ser banalizada.
E lembre-se: você é o autor da sua vida e é capaz de escrever uma história de amor muito linda, na qual receba e dê muito amor. Saiba sempre que amar pode dar certo, desde que você cuide do Amor com muito carinho e sabedoria.

O amor é eterno e maravilhoso em sua essência, capaz de realizar as mais importantes transformações em um ser humano, mas as pessoas atualmente se machucam muito porque não aprenderam a amar de uma forma plena.
O problema não está no amor. O ser humano não consegue ser feliz sozinho. Desistir de amar é deixar de lado uma parte fundamental da própria vida, e por isso mesmo é triste ver tantas pessoas tratarem o amor com desprezo, acharem as manifestações de romantismo algo feio e, principalmente, desistirem de viver um grande amor. Vale a pena amar, acreditar no amor, entregar-se ao amor. O amor satisfaz os nossos mais profundos desejos de compreender e ser compreendido, de valorizar e ser valorizado, de dar e receber.
Amar pode dar certo
( Roberto Shinyashiki )

Eu me lembro que na época em que virei uma sem teto...rs...desesperada, comecei a enviar um monte de email aos meus contatos, contando o que havia acontecido, com a foto do meliante...e pedindo caso alguém pudesse me ajudar de alguma forma a localizar, que me avisasse. Foi muito engraçado porque nós nunca podemos imaginar qual será a atitude das pessoas, e para minha surpresa, recebi poucos e-mails, e claro, me desmentindo, teve até uma pessoa que escreveu uma coisa que eu nunca mais vou esquecer...ele escreveu que aquilo não poderia ser verdade, e que ele tinha certeza de que não era....porque se ele tivesse certeza de que isso realmente havia me acontecido, ele até me dava um apartamento.
É óbvio que eu jamais aceitaria um apartamento de alguém que não conheço, aliás, mesmo de quem eu conheço que não seja da familía....mas a certeza da pessoa de que eu estava inventando era tão grande, que chegou a me chocar.
Que não dava para ninguém fazer nada, isso era óbvio, hoje percebo, mas no auge do desespero, só pensava em gritar socorro.
Aprendam:
1. Ninguém irá te socorrer, que não seja de sua familía e olhe lá!
2. Uma história como essa, ninguém acredita, você passa por louca.
3. Tudo que você fez para seu ex marido, e a familía dele....o meu tudo engloba ter sido carinhosa, ter cuidado bem, ter sidoão leal, ter tido carater, etc...eles já esqueceram faz tempo, quando não negam que você fez!! NÃO SE ILUDAM.
4. Não interessa se você foi fiel, se aguentou tantas coisas, se abriu mão de sua vida para cuidar das deles...fez porque quis, e isso se realmente lembrarem que você fez, o que já é uma grande coisa!
Não estou induzindo vocês a não fazerem, mas façam conscientes de que nunca terão reconhecimento, muito menos valor.
Hoje, tenho uma vida que nunca imaginei ter, vivo com muita dificuldade financeira, estou procurando emprego, mas pela idade e falta de experiencia, é difícil, e meu ex marido nem lembra que tem ou teve uma familia...os filhos passarem necessidade para ele as vezes parece até um prazer. Não esperem que ele ame ao menos os filhos de vocês....nem que se preocupe se você esta sobrecarregada, ainda mais se você errou, se enganou, acreditou...você não pode errar entendeu?
Portanto eu acoselho as mulheres que acabaram de casar, ou que estão para se casar a não abrirem mão de suas vidas profissionais, nunca! Eu fiz isso em prol de uma familia que eu julgava unida...hoje...rsrs...
Eu não estou amarga, não sou amarga, sou REALISTA...e aprendi a não me iludir mais, a nao esperar mais nada de ninguém, e de fato não espero, hoje quando um homem me chama para tomar um café, e me enche de elogios, sei que o próximo convite será motel!! Como não me achei na rua, e me respeito muito, não aceito.
Sei quem sou, como sou, e tudo que tenho para dar...mas são coisas valiosas demais para hoje...dar para qualquer um.
Tem que merecer...e muitooo.
Vejam bem para quem vocês entregam vocês!!

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

Custom Search Control
Web


Não me prendo a nada que me defina – Clarice Lispector


Clarice Lispector Não me prendo a nada que me defina. Sou companhia, mas posso ser solidão. Tranquilidade e inconstância. Pedra e coração. Sou abraços, sorrisos, ânimo, bom humor, sarcasmo, preguiça e sono! Música alta e silêncio. Serei o que você quiser, mas só quando eu quiser. Não me limito, não sou cruel comigo! Serei sempre apego pelo que vale a pena e desapego pelo que não quer valer…
“Suponho que me entender não é uma questão de inteligência e sim de sentir, de entrar em contato... Ou toca, ou não toca."
(
Clarice Lispector)








Para Se Roubar Um Coração | Luís Fernando Veríssimo


Para se roubar um coração, é preciso que seja com muita habilidade, tem que ser vagarosamente, disfarçadamente, não se chega com ímpeto, não se alcança o coração de alguém com pressa.
Tem que se aproximar com meias palavras, suavemente, apoderar-se dele aos poucos, com cuidado.
Não se pode deixar que percebam que ele será roubado, na verdade, teremos que furtá-lo, docemente.

Conquistar um coração de verdade dá trabalho, requer paciência, é como se fosse tecer uma colcha de retalhos, aplicar uma renda em um vestido, tratar de um jardim, cuidar de uma criança.
É necessário que seja com destreza, com vontade, com encanto, carinho e sinceridade.
Para se conquistar um coração definitivamente
tem que ter garra e esperteza, mas não falo dessa esperteza que todos conhecem, falo da esperteza de sentimentos, daquela que existe guardada na alma em todos os momentos.
Quando se deseja realmente conquistar um coração, é preciso que antes já tenhamos conseguido conquistar o nosso, é preciso que ele já tenha sido explorado nos mínimos detalhes,
que já se tenha conseguido conhecer cada cantinho, entender cada espaço preenchido e aceitar cada espaço vago.
...e então, quando finalmente esse coração for conquistado, quando tivermos nos apoderado dele,
vai existir uma parte de alguém que seguirá conosco.
Uma metade de alguém que será guiada por nós e o nosso coração passará a bater por conta desse outro coração.
Eles sofrerão altos e baixos sim, mas com certeza haverá instantes, milhares de instantes de alegria.
Baterá descompassado muitas vezes e sabe por que?
Faltará a metade dele que ainda não está junto de nós.
Até que um dia, cansado de estar dividido ao meio, esse coração chamará a sua outra parte e alguém por vontade própria, sem que precisemos roubá-la ou furtá-la nos entregará a metade que faltava.
... e é assim que se rouba um coração, fácil não?
Pois é, nós só precisaremos roubar uma metade, a outra virá na nossa mão e ficará detectado um roubo então! E é só por isso que encontramos tantas pessoas pela vida a fora que dizem que nunca mais conseguiram amar alguém... é simples...
é porque elas não possuem mais coração, eles foram roubados, arrancados do seu peito, e somente com um grande amor ela terá um novo coração, afinal de contas, corações são para serem divididos, e com certeza esse grande amor repartirá o dele com você.
( Luís Fernando Veríssimo )

Custom Search Control
Web



A Verdade é um modo de estarmos bem Conosco


verdade Cada época, como cada idade da vida, tem o seu secreto e indizível e injustificável sentido de equilíbrio. Por ele sabemos o que está certo e errado, sensato e ridículo. E isto não é só visível no que é produto da emotividade. É visível mesmo na manifestação mais neutral como uma notícia ou um anúncio de jornal. Donde nasce esse equilíbrio? Que é que o constitui? O destrói? Porque é que se não rebentava a rir com os anúncios de há cento e tal anos? (Rebentamos nós, aqui há uns meses, em casa dos Paixões, ao ler um jornal de 186...). Mas a razão deve ser a mesma por que se não rebentou a rir com a moda que há anos usamos, os livros ridículos que nos entusiasmaram, as anedotas com que rimos e de que devíamos apenas rir. O homem é, no corpo como no espírito, um equilíbrio de tensões. Só que as do espírito, mais do que as do corpo, se reorganizam com mais frequência. Equilibrado o espírito, mete-se-lhe uma ideia nova. Se não é expulsa, há nela a verdade. Porque a verdade é isso: a inclusão de seja o que for no nosso mecanismo sem que lhe rebente as estruturas. Ou: a coerência de seja o que for com o nosso equilíbrio espiritual. A verdade é um modo de estarmos a bem conosco. Mas é um mistério saber o que nos põe a bem ou a mal. Os anúncios de há cem anos eram ridículos porque sim. Nos meus escritos de há anos, mesmo nos ensaios, aquilo de que me separo não são muitas vezes as ideias, a argumentação, mas um certo modo de se olhar para os argumentos, os problemas, um certo nível humano de encarar as coisas. Leio um ensaio de há vinte anos e sinto que eu tinha menos vinte anos. Há um nível etário para a mesma verdade nos existir. A verdade de que falei há vinte anos é-me exatamente a de hoje; e todavia há um desfasamento no modo como corri para ela e me entusiasmei com ela e me comovi com ela. Tudo agora me acontece ainda mas num registo diferente. Não é em si que as verdades envelhecem: é com as rugas que temos no rosto e na alma.